O seu navegador não é compatível. O site Tripadvisor poderá não ser exibido corretamente.Aceitamos os seguintes navegadores:
Windows: Internet Explorer, Mozilla Firefox, Google Chrome. Mac: Safari.
Salvar
Destaques da avaliação
Não se avalia, se admira

Igreja não se avalia, cada uma tem suas características e sua história e nos levam a uma viagem... leia mais

Publicada há 4 semanas
Sunshine824523
,
Vitória, ES
via dispositivo móvel
Linda expressão da arte

É linda. Traz paz. Tem uma mensagem no branco, que a torna diferente e talvez única, que é uma... leia mais

Publicada em 4 de maio de 2021
Mariafsd
,
Belo Horizonte, MG
Leia todas as 434 avaliações
  
Avaliações (434)
Filtrar avaliações
434 resultados
Pontuação dos viajantes
264
148
21
1
0
Tipo de viajante
Época do ano
IdiomaTodos os idiomas
Mais idiomas
Pontuação dos viajantes
264
148
21
1
0
Veja a opinião dos viajantes:
Filtros selecionados
Filtrar
Atualizando...
8 a 13 de 434 avaliações
Publicada em 1 de agosto de 2020

A alegria que inunda o visitante fica no interior desta magnífica igreja: é quase tudo em branco, fugindo ao habitual doirado exuberante de outras igrejas. A fachada é bem alta e no local onde se situa é bem difícil se ter um bom recuo para a poder fotografar convenientemente.

Data da experiência: setembro de 2019
Obrigado, Jorge S
Esta avaliação representa a opinião subjetiva de um membro do programa TripAdvisor e não da TripAdvisor LLC.
Publicada em 8 de maio de 2020

As Igrejas das Cidades Históricas impressionam pela grandiosidade, de qualquer lugar da cidade é possível ver suas torres e nós, parecemos meras formiguinhas ao lado delas
Nossa Senhora do Carmo, com suas torres octogonais típicas do século 18 (cem anos antes, os carmelitas preferiam torres retilíneas). Em julho, os sinos soam chamando a população para as missas em louvor de Nossa Senhora do Carmo.
Foi erguida em 1733, no auge do período rococó e trouxe inovações de estilo barroco na sua construção.
No interior da Igreja de Nossa Senhora do Carmo a riqueza não está nos detalhes em ouro, mas nos elaborados entalhes presentes ao longo do templo, mostrando o trabalho artístico envolvido na ornamentação das construções de época

Data da experiência: fevereiro de 2020
Obrigado, Glaucia F
Esta avaliação representa a opinião subjetiva de um membro do programa TripAdvisor e não da TripAdvisor LLC.
Publicada em 12 de fevereiro de 2020 via dispositivo móvel

Linda igreja com mais de 2 séculos de construção, rica em detalhes, seu interior é todo branco com pinturas e imagens santas de um realismo que impressiona. Na parte cima tem uma área onde há exposição de sinos centenários. Pode também subir até uma de suas torres. Essa igreja fica no centro histórico e vale muito a pena uma visita.

Data da experiência: janeiro de 2020
5  Obrigado, Tioliba
Esta avaliação representa a opinião subjetiva de um membro do programa TripAdvisor e não da TripAdvisor LLC.
Publicada em 12 de janeiro de 2020

A primeira capela de Nossa Senhora do Carmo foi benta no dia 20 de dezembro de 1734, pelo Pe. Antônio Pereira Corrêa, vigário da Vara interino. Sua construção teve início nos primeiros dias de 1733. A autorização concedida à Irmandade de Nossa Senhora do Carmo com sede na Matriz de Nossa Senhora do Pilar de São João del-Rei, para a construção de sua capela, por Dom Frei Antônio de Guadalupe, bispo do Rio de janeiro é datada de 10 de dezembro de 1732. A regalia de Ordem terceira foi concedida por bula papal de 9 de setembro de 1746, sendo Pontífice Benedito XIV, no 7º ano de seu pontificado.

A atual fachada da igreja foi iniciada em 1787, tendo como diretor das obras e seu artífice, o grande mestre português Francisco de Lima Cerqueira, que na ocasião trabalhava na construção da Igreja de São Francisco de Assis. Seu conjunto talvez exceda em “equilíbrio e perfeição de desenho à de São Francisco, não sendo tão rico em ornatos e trabalhos” (Rodrigo M. F. Andrade, Prefácio do livro de Zoroasto Passos, “Em torno da História de Sabará”). Sua fachada figura como exemplo de templo mineiro da época das grandes construções no livro de Miram de Barros Latif: “Minas Gerais”, tem comprimento de 50 metros por 16 de largura, na parte externa.

Trabalharam também na construção da fachada da igreja os artistas Agostinho Gonçalves Pinheiro, que serviu de mestre de obra, e o entalhador Luís Pinheiro, em certa ocasião foi consultor. Nas obras da torre e frontão foram consultados e talvez tenham trabalhado os artistas alferes Aniceto de Sousa Lopes e Manuel Machado.

As torres, desde as bases até as cúpulas sustentadas por prolongamento das pilastras e nova cimalha, são em formato octogonal, com frestas abertas nas arestas, o que é considerado raro na arquitetura colonial. As cúpulas em forma bulbar terminam por uma coroa armilar e cruz de metal.

Um medalhão de Nossa Senhora do Carmo muito bem esculpido e artisticamente disposto está colocado no meio da portada. Nossa Senhora do Carmo tem como resplendor um círculo, tendo ao centro uma estrela. Tem o Menino Jesus no braço esquerdo e segura com a mão direita um escapulário, o diadema do Menino Jesus tem a originalidade de ser feito de pequenas conchas unidas. Arcanjos entre nuvens estão aos pés da imagem de Nossa Senhora do Carmo.

Logo abaixo da medalha há um delicado escudo da Ordem do qual se desprende uma fita com a inscrição: “DOMINUS-IN-SION-MAGNUS-MARIA-MATER-EJUS-IN-LIBANO”.

No escudo da direita está inscrito: GLORIA LIBANI DATA EST EI. No da Esquerda: DECOR CARMELI & SARON. A verga tem formato de arco abatido composto de pequenas volutas laterais que se encontram na parte central num pequeno arco.

Os altares laterais do corpo da igreja e este grupo foram entalhados pelo artista sanjoanense Joaquim Francisco de Assis Pereira, assim como a imagem de Cristo atado à coluna.

Apoiado na cimalha, que corre por todo o corpo da igreja, e bem no centro do arco-cruzeiro, está um escudo, ornado de volutas, que tem em seu campo central o emblema da Ordem Terceira do Carmo. É ladeado por dois grandes anjos. Um grupo escultural, no teto abaulado da grande nave, representa o Santo Padre o Papa João XXII recebendo de Nossa Senhora do Carmo a inspiração da Bula Sabatina.

No retábulo da bela capela mor, dentro do trono, venera-se a imagem de Nossa Senhora do Carmo. Essa imagem, esculpida em Portugal, foi benta solenemente no dia 1º de maio de 1925, pelo Exmo. e Revmo. Sr. Dom Helvécio Gomes de Oliveira, Arcebispo de Mariana.

Data da experiência: janeiro de 2020
1  Obrigado, Ivan Mercadante B
Esta avaliação representa a opinião subjetiva de um membro do programa TripAdvisor e não da TripAdvisor LLC.
Publicada em 29 de outubro de 2019 via dispositivo móvel

Durante nosso passeio, tivemos nesta linda igreja e pudemos observar a grandiosidade histórica e religiosa que ela representa.

Data da experiência: outubro de 2019
Obrigado, Gisele_Alves
Esta avaliação representa a opinião subjetiva de um membro do programa TripAdvisor e não da TripAdvisor LLC.
Veja mais avaliações