O seu navegador não é compatível. O site TripAdvisor poderá não ser exibido corretamente.Aceitamos os seguintes navegadores:
Windows: Internet Explorer, Mozilla Firefox, Google Chrome. Mac: Safari.

Califórnia Fórum: Viagem San Francisco a San Diego

porto alegre
Colaborador nível
2 publicações
153 avaliações
Salve o assunto
Viagem San Francisco a San Diego

Roteiro de viagem San Francisco-Los Angeles-San Diego:

Vamos começar a viagem rumo ao sul da Califórnia saindo pela Rodovia 280 para quem está no centro da cidade. Siga no rumo de Pacífica e depois localize a Highway 1 e Montana, El Granada, Half Moon Bay, San Gregório, Daven Port e Santa Cruz.

Para quem está na região do Aeroporto de San Francisco, a saída será pela Rodovia 101 até encontrar com a 17 à direita, prosseguindo para Los Gatos e Santa Cruz Prepare-se para rodar mais de 730 km.

Agora a viagem pela Highway One começa para valer em direção a Baía de Monterey, passando por Pacific Grove e Monterey, onde nos aguarda a Cannery Row e o Monterey Bay Aquarium. A Cannery é o lugar onde se concentravam as mais de 40 antigas fábricas que enlatavam sardinhas. Permaneceu mais de 30 anos abandonada e agora tem seus prédios restaurados que viraram galerias, cafés, lojas e restaurantes.

 

A mãe natureza trabalhou horas extras na acidentada Península de Monterey, o ponto culminante da lendária Pacific Coast Highway, estrada que acompanha grande parte da costa da Califórnia. A península é formada por praias com penhascos esculpidos pela arrebentação e pelo vento, dunas de areia, costas rochosas e baías profundas. A antiga cidade pesqueira de Monterey, para sempre imortalizada pelo romancista John Steinbeck, vencedor do Prêmio Nobel, continua a ser o maior atrativo da península. Todo mês de setembro, ela hospeda o Monterey Jazz Festival, um acontecimento de três noites, que atrai os mais importantes nomes da música em todo o mundo, é o mais antigo festival de jazz do país e acontece sempre na terceira semana de setembro.

As cidades de Monterey, Pacific Grove e Carmel são unidas pela 17 Mile Drive, uma estradinha fechada e com 5 portões de acesso para visitar o Pebble Beach, um condomínio de luxo com seus campos de golfe e milionários em seu habitat natural. Ao entrar paga-se uma taxa de 10 dólares e entregam um mapa do lugar. Encontre o Mirante de Lone Cypress e prepare-se para uma série de fotografias.

Considerado por muitos o mais emocionante, divertido e deslumbrante relevo para a prática de golfe da face da terra, os campos de Pebble Beach, que abraçam o Pacífico, são solo sagrado para os golfistas. Faz parte agora de um trio de campeonatos que inclui os campos de Spyglass Hill e do Links em Spanish Bay, Pebble Beach foi aberto em 1919.

No final dos anos de 1940, o crooner Bing Crosby trouxe para cá o seu torneio com profissionais e amadores, o ‘clambake’, que evoluiu para o AT & T Pebble Beach National Pro-Am, jogado nos campos de Pebble, Spyglass e no vizinho Poppy Hills durante o segundo fim de semana de fevereiro.

A elegância requintada do Lodge at Pebble Beach oferece o máximo em comodidades para o golfe, de qualidade inigualável. Seus 161 quartos têm lareiras, e muitos contornam o flanco direito do 18º fairway de Pebble, podendo-se ouvir o quebrar das ondas do Pacífico. Também abraçando o litoral está uma pousada mais moderna em Spanish Bay, com 269 quartos palacianos com móveis antigos e banheiros esplêndidos, todos em mármore.

Não-golfistas podem desfrutar a lendária 17-Mile Drive, uma estrada particular com pedágio conectando Monterey à sua vizinha peninsular, Carmel by the Sea ou apenas Carmel, que de 1986 a 1988 teve como prefeito o ator Clint Eastwood Um microcosmo da beleza romântica da costa, pontilhada com afloramentos borrifados pelo oceano onde focas e leões marinhos descansam, o trajeto de carro serpenteante também leva a maravilhas feitas pelo homem, como mansões de milhões de dólares. Em setembro, reúne a nata mundial dos colecionadores de carros antigos para passear durante uma semana e para um grande desfile ao final do evento. Depois, vá ao shopping que vende produtos com a grife do lugar e oferece uma cafeteria, restaurante e banheiros públicos. Coisa de milionários em paz com a vida.

Sair pelo portão 5 que leva direto a Carmel. Estacione na Gallery Walks para encontrar um restaurante para o almoço e depois circular pelas galerias de arte e lojinhas de artesanato. Está é uma cidadezinha linda demais para ser verdade. Aqui não existem semáforos, painéis, anúncios em neon e carrocinhas de hot-dog. É um território de gente rica e por conta disso até a iluminação noturna é quase nula porque, segundo um brasileiro dono de um restaurante: “rico não anda à pé e por conta disso não precisa de iluminação pública”. Pobre por aqui só os de passagem...

Devido as andanças ao longo deste dia, o pernoite pode ser aqui ou em Monterey, onde existem muito mais opções de hotéis e pousadas, além do preço ser mais em conta. Entretanto, se o tempo permitir, continue por Bir Sur, ferozmente protegido por seus 1.500 habitantes, é dramaticamente solitário, com ondas violentas quebrando no Pacífico de um de seus lados e uma estrada de curvas estreitas que serpenteia, contornando as montanhas. A Pfeiffer State Beach é deslumbrante—, na verdade, há muito pouco por aqui que não seja. Pare para absorver tudo isso com um jantar e um bom vinho californiano no famoso Nepenthe, com o seu pátio ao ar livre a 243 metros do surfe. Com localização deslumbrante, o Post Ranch Inn , situado a 365 metros acima do Pacífico, é uma janela para as vastas vistas do Oceano e das montanhas em dias claros. Mesmo quando há neblina na Costa, esse lugar transpira romance, com fogões à lenha e banheiras em todos os 30 quartos. Do outro lado da rodovia, o Ventana Inn oferece o mesmo luxo casual e a sensação de estar em meio à natureza. Uma parte infinitamente mais acessível do Big Sur pode ser sua, com uma reserva no Deetjen’s Big Sur Inn. Um bonito lugar para dormir que funciona desde a década de 1930, com seus quartos em estilo chalé, oferecendo conforto clássico em estilo antigo, e antiguidades que vão do fogão à lenha a colchas de retalhos tradicionais ("quilt") nas camas. Igualmente o mais concorrido, é o restaurante do local, onde os habitantes locais se reúnem pelas manhãs, tomando o café da manhã.

Delimitado pelas acidentadas montanhas Santa Lucia ao leste e o Pacífico a oeste, Big Sur permanece um deserto remoto e uma obra-prima natural. “Um lugar de grandeza e silêncio eloqüente” assim descreveu a terra que o abrigou Henry Miller, autor de Trópico de câncer. Praticamente inacessível antes da construção da PCH, que contou com a ajuda de trabalhadores das prisões e fundos do New Deal, o Big Sur atraiu mais turismo e casas de temporada quando a rodovia finalmente foi inaugurada em 1937. Sua beleza atraiu escritores e artistas como Miller, cujos livros e fotografias podem ser explorados na biblioteca Henry Miller Memorial, e pensadores alternativos, alguns dos quais, mais tarde, ajudaram a fundar o Instituto Esalen. Quando retornar à estrada, vamos passar pela Bixby Bridge onde tem um paradouro para mais umas fotos.

Depois continue para San Simeon para visitar o Hearst Castle, a fantástica mansão do magnata da imprensa William Randolph Hearst. Instalada numa área imensa, no ponto mais alto da região, tem 127 acres de jardins, mais de 160 quartos, 61 banheiros e 41 lareiras e uma piscina subterrânea aquecida. Haja hóspedes !

Seguindo viagem, visite San Luis Obispo, onde está a California Polythenic University. Conheça a Missão San Luis Obispo de Tolosa. Quando retornar à estrada, preste atenção no hotel Maddona Inn, um verdadeiro monumento kitsch com seus 109 quartos decorados com temas diversos. Retornando à estrada, pegue a Highway 101 no Vale Santa Inez e conheça Solvang – uma pequena cidade dinamarquesa, com seus moinhos, casas de sapê e restaurantes que servem comidas escandinavas e pernoite por aqui. O Guest House International Inn & Suites – State Street, 3344 – é a sugestão. Esta encantadora cidadezinha também tem sua Mission: Santa Bárbara, construída em 1786. Circule pela State Street, à pé ou de bicicleta, que podem ser alugadas na Whell Fun Rentals – State Street, 22.

Continue os passeios pela praia de Malibu e Santa Monica e vá direto ao Pier para conhecer a única montanha russa do mundo que funciona a energia solar. Santa Monica foi projetada por Abbot Kinney para ser uma réplica de Veneza, mas sem gondoleiros. Para conhecer os 25 km de canais comece pelo Grande Canal e siga suas pontes.

BEVERLLY HILS

Rodeado por Los Angeles em três lados e West Hollywood ao leste, Beverly Hills não é um bairro, é uma cidade independente com residentes (incluindo estrelas como Jack Nicholson e Warren Beautty) que podem entrar e sair das lojas top, e desaparecem para dentro de suas residências. O coração comercial do local é o ‘triângulo dourado’, em três quarteirões delimitados pela Santa Monica Boulevard, Wilshire Boulevard e Canon Drive. Aqui, você encontrará na Rodeo Drive joalherias do porte da Tiffany & Co. e Harry Winston, além de todos os designers imagináveis, de Armani a Hermenegildo Zegna.

Se não estiver se sentindo à vontade o suficiente até mesmo para olhar as vitrines, a cidade oferece um encantador passeio de bonde de 40 minutos. A riqueza e o glamour dos anos dourados da região ainda podem ser encontrados no opulento Greystone Manor, construído pela família Doheny, no auge da área do petróleo, em 1928. A mansão e os exuberantes 7,3 hectares de parques e jardins que a rodeiam são uma locação usual para comerciais, programas de televisão e filmes. O Paley Center for the Media ("irmão" de um museu com o mesmo nome na cidade de Nova York) é um santuário sobre como a maioria dos residentes de Beverly Hills fizeram suas fortunas. Os visitantes podem solicitar um show favorito de uma coleção de mais de 120.000 programas, cobrindo 85 anos, e exibi-lo em cabine privativa.

Enquanto estiver na área, vá ao Nate’n Al, a delicatessen favorita e o ponto de encontro de veteranos do cinema e televisão. Não tenha medo de ouvir estórias do pessoal; cada garçom e garçonete, e quase todos os convivas, têm algo interessante para contar, e a maioria deles vai compartilhá-la com prazer.

SANTA MONICA

Bem-vindo a Santa Monica, cidade constituída desde 1907, delimitada pela estonteante Los Angeles de um lado e pelo grande mar azul do outro. A comunidade litorânea de L.A. não é mais a sonolenta, vagarosa e relaxante cidade de veraneio que já foi uma vez. Mas as ruas planas de Santa Monica são ainda perfeitas para caminhar, correr, pedalar ou ver o sol quando a névoa da manhã se dissipa.

O Third Street Promenade, outrora um centro de compras de rua um pouco ordinário — e também um dos primeiros do país —, é agora o modelo perfeito de ‘novos’ espaços urbanos e um dos locais de encontro preferidos do sul da Califórnia, com suas lojas, cafés e cinemas. Embora seja inegavelmente um lugar agradável para passear, você também irá querer dirigir-se à histórica Santa Monica, bem preservada, e ao que ela tem de melhor: o mundialmente famoso Santa Monica Pier. Instituição amada desde 1909, ele ostenta uma coleção de brinquedos clássicos de parques de diversão, lojas de souvenirs de conchas marinhas e, o melhor de tudo, um genuíno carrossel de madeira de 1930, imediatamente reconhecível por todos aqueles que assistiram Um Golpe de Mestre.

A poucos quarteirões de distância você pode topar com celebridades do West Side, como os Hanks-Wilsons e os Spielbergs nas sofisticadas boutiques ao longo da Montana Avenue. O fascinante mercado de fazendeiros ( Farmer`s Market ) às quartas e sábados traz chefs amadores e profissionais locais (alguns dos quais fazem demonstrações culinárias especiais), à procura do melhor em produtos orgânicos e sazonais, em cores e variedades que você não imaginava que existissem. Para quem gosta de passear pelos shoppings, aproveite que junto ao mercado está o mais concorrido shopping da cidade: The Grove que, além de reunir as melhores grifes também oferece um enorme estacionamento cortesia.

Se você prefere ter sua comida preparada e de uma forma nada menos do que ‘divina’, opte pela cozinha italiana do suntuoso Valentino, onde o lendário anfitrião-proprietário Piero Selvaggio trata seus clientes como parentes que não vê há muito tempo, e a adega de mais de 100.000 garrafas é aclamada como ‘a melhor de todas’. Junto à praia e com vista para o píer encontra-se o delicioso Shutters on the Beach, um dos únicos dois hotéis em Santa Monica posicionados diretamente na praia, e não no outro lado da rua. Um dos hotéis mais fascinantes da região, pois consegue combinar a aparência casual de um Cape Cod resort (todos os quartos têm varandas que se abrem para deixar entrar o barulho do mar) com todas as luxuosas comodidades que seus clientes VIP poderiam exigir, incluindo um SPA e refeições à beira-mar no One Pico ou no Pedals Café.

A poucos passos de Santa Monica fica a ainda excêntrica e encantadora comunidade litorânea de Venice, fundada em 1905 por Abbott Kinney, que idealizou uma Veneza americana. Kinney a projetou para incluir canais, arquitetura italiana e autênticas gôndolas importadas, há muito desaparecidas. Embora os canais ainda existam, eles são muito menos notáveis do que o famoso deck de Venice Beach, de quase cinco quilômetros de extensão, um passeio que ladeia as praias de areia branca. Este foi o epicentro do cenário hippie de L.A. dos anos de 1960, e muito dessa vibração boêmia ainda perdura. Com seus acessíveis cafés e barracas vendendo roupas da moda, óculos de sol e tatuagens temporárias, é um carnaval humano, em que músicos de rua, patinadores, andarilhos, garotas de bikíni estão em desfile contínuo. A região há muito tempo famosa como a meca dos halterofilistas, Muscle Beach, continua ainda bombando os jovens candidatos a Schwarzenegger. Pessoas comuns fazem fila no Jodi Maroni’s Sausage Kingdom ou passeiam pela Main Street de Venice, uma estimulante mistura de lojas, tão fabulosas quanto peculiares.

HOLLYWOOD

Hollywood é um distrito da cidade de Los Angeles na Califórnia de grande importância na constituição da identidade cultural dos Estados Unidos, e está situado a noroeste do Downtown de Los Angeles . O distrito se tornou famoso mundialmente pela concentração de empresas do ramo cinematográfico e pela influência que exerce na cultura global.

Com o passar das décadas, Hollywood se tornou símbolo do poderoso e fantástico cinema estadunidense, sediando premiações e abrigando homenagens públicas para os mais destacados artistas de cinema e musicais do mundo. O local também é famoso pelo grande letreiro chamado Sinal de Hollywood e pela enorme concentração de pessoas ricas e famosas que moram neste ou nos demais distrito próximos.

Devido à sua fama e identidade cultural como o centro histórico de estúdios e astros de cinema, a palavra "Hollywood" é frequentemente usada como uma metonímia do cinema americano, e é muitas vezes usada alternadamente para se referir à Grande Los Angeles em geral. As alcunhas StarStruck Town e Tinseltown referem-se a Hollywood e sua indústria cinematográfica . Atualmente, grande parte da indústria do cinema se dispersou em áreas vizinhas, como a região de Westside, entretanto, significativas indústrias auxiliares, tais como empresas de edição, efeitos, adereços, pós-produção e iluminação permanecem em Hollywood, como o backlot da Paramount Pictures. Aqui é a sede do Oscar, prêmio máximo da Academia de Cinema dos Estados Unidos.

Comece o dia pelas calçadas da Hollywood Walk of Fame que tem mais de 2.500 placas de cimento com as impressões de mãos e pés dos mais destacados artistas do mundo. Viste o Chinese Theater, o prédio da Capitol Records e dê uma paradinha da loja dos chocolates Ghirardelli.

Depois vá para a Melrose Avenue e experimente a comida italiana do restaurante AGO, de propriedade do ator Robert De Niro e que fica no número 8478 da mesma avenida. Se quiser conhecer um estúdio cinematográfico, existem duas opções: o programa da Paramount e o da Universal. Você pode ir direto em seu carro e comprar o ingresso para a visitação, que por sinal não é barato.

Depois é pegar a estrada e descer pela costa em direção a San Diego, uma belíssima e surpreendente cidade, considerada a 20ª cidade americana.

 

San Diego

É o berço da Califórnia. Foi descoberta pelo explorador Juan Rodriguez Cabrillo, que viajava do México em direção ao norte, com um navio de bandeira espanhola. Em 1542, a região passou a ser possessão dos espanhóis. Em 1769, o padre franciscano Junípero Serra instalou na área a Mission San Diego de Alcalá —a primeira das 21 que foram posteriormente construídas na Califórnia. Originalmente povoada por índios, a região foi governada por Espanha, México e, desde 1846, pelos Estados Unidos.

A área onde San Diego atualmente se localiza foi habitada originalmente por nativos da tribo Kumeyaya. O primeiro europeu a visitar a região foi o explorador português João Rodrigues Cabrillo, que conquistou a baía para a Espanha em 1542. O lugar foi batizado como "São Miguel de Cabrillo". Em 12 de novembro de 1602, Dom Sebastián de Viscaíno chegou com sua equipe no dia de San Diogo de Alcallá e celebrou a missa em homenagem ao santo. Por coincidência, o barco de Viscaíno era chamado "San Diego". Ele então rebatizou o lugar como "San Diego", em homenagem ao santo.

Está localizada no sul da Califórnia, sendo a segunda mais populosa do Estado e a oitava do país. Está às margens da baía de mesmo nome, no litoral do Oceano Pacífico, distanciando-se 190 quilômetros de Los Angeles. É considerada berço da Califórnia e conhecida por seu clima ameno durante a maior parte do ano, por seu porto natural de águas profundas, extensas praias, longa associação com a Marinha dos Estados Unidos e seu centro de desenvolvimento da biotecnologia. Sua população, conforme estimativas de 2012, é de 1 322 553 habitantes. San Diego foi classificada como a 20ª cidade mais segura nos Estados Unidos em 2013, pelo Bussiness Insider.

Montanhas cercam a região leste da cidade, sendo que além das montanhas existem áreas desérticas. A cidade é a sede do Condado de San Diego e centro econômico da região, e principal cidade da área metropolitana San Diego-Tijuana. Os principais vetores econômicos de San Diego são as atividades militares e de defesas, relacionado ao turismo, comércio internacional e de fabricação. A presença da Universidade da Califórnia em San Diego (UCSD), com a afiliada UCSD Medical Center, ajudou a tornar a região um centro de pesquisas em biotecnologia.

Desde o início do século XX até adécada de 70, a frota de pesca do atum-americano e da indústria de conservas de atum foram baseadas em San Diego, que é tida como "a capital mundial do atum ". A primeira fábrica de conservas foi fundada na cidade em 1911, e por meados dos anos 1930 as fábricas de conservas já empregavam mais de 1.000 trabalhadores. Devido ao aumento dos custos e da concorrência estrangeira, a última das fábricas de conservas fecharam suas portas nos anos 80.

Entre as principais atrações turísticas de San Diego estão o Balboa Park — que abriga 15 museus, teatros, jardins, centros de arte e zoológico, o Mission Bay Park, as praias, e os bairros de La Jolla, Coronado Island, Old Town, Embarcadero, Sea World e Legolândia, o Gaslamp Quartier e o US Midway Museum, antigo porta-aviões transformado em concorrido museo.

É permitido fazer piqueniques nos parques e nas praias, mas cerveja e vinho devem estar fora do menu. Por força de lei municipal, é proibido fumar e ingerir bebida alcoólica nos parques e praias de San Diego. A multa pode chegar a US$ 1.000, e turistas também estão submetidos à regra. Quem quer beber tem de ir a um bar ou restaurante, e quem quer fumar deve ficar a, pelo menos, cem metros de distância de qualquer prédio, praia ou parque público.

Ao contrário do que acontece em outras cidades dos EUA, em San Diego, só come fast food quem quer. É fácil encontrar bons pratos de frutos do mar em toda a região metropolitana, que tem registrados 6.700 restaurantes. Em Downtown, Little Italy, La Jolla e Coronado, encontram-se excelentes opções de cozinha italiana e mexicana. A Grande San Diego tem cerca de 90 campos de golfe e quadras esportivas. Nas praias, alugam-se caiaques e pranchas de surfe.

No departamento de compras, a região também é bem servida. Tem pelo menos três grandes centros de "outlets" com destaque para o Las Americas Premium Outlet e o Westfiel Horton Plaza. Os principais pontos turísticos da cidade são as suas praias, o Gaslamp Quarter, o centro histórico da cidade, o Balboa Park, e os famosos Seaworld e o Zoológico.

Boston...
Colaborador nível
5.826 publicações
Equipe do TripAdvisor
Salve a resposta
1. Re: Viagem San Francisco a San Diego

Olá Edilton,

Bem-vindo ao fórum de Califórnia. Obrigado por compartilhar suas dicas de viagem!

porto alegre
Colaborador nível
2 publicações
153 avaliações
Salve a resposta
2. Re: Viagem San Francisco a San Diego

Ola Bárbara - não sei se vc já curtiu essa estrada maravilhosa. Se ainda não, vale a pena experimentar. O relato que fiz é correto e demonstra aquilo que vimos e sentimos ao longo dos 14 dias que vivenciamos essa parte da Califórnia.

Depois seguimos para Las Vegas, que é outra estória. Estou ultimando meu relato e postarei breve.

Abraço,

Edilton

3. Re: Viagem San Francisco a San Diego

-:- Mensagem da equipe do TripAdvisor-:-

Esse tópico foi encerrado porque ficou inativo. Ainda assim, esperamos que você participe da conversa: para isso, responda a uma discussão aberta ou comece um novo tópico.

Para rever as diretrizes de publicação nos fóruns do TripAdvisor, clique neste link: http://www.tripadvisor.com/pages/forums_posting_guidelines.html

Nós removemos publicações que não seguem as nossas diretrizes de publicação e nos reservamos o direito de remover as postagens por qualquer motivo.

Removido em: 27 de Abril de 2015, 04:16
Encontre respostas para as suas dúvidas sobre Califórnia
Conversas mais recentes